sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Ela é assim! Mas assim como?


(Figura: Ilustração de Raphael Kirchner, um dos precursores das Pin Ups)

Ela é assim! Pronto.
Mas assim como? Explica!
Ela é assim um mix de tudo que se possa imaginar dentro de uma grande capacidade de apenas não ser nada em definitivo. Ela é aquilo que não consegue se encaixar em moldes pré-existentes, parece que ninguém nunca foi antes dela. Ela se incomoda com isso, às vezes, muito.

Ela é cheia de sentimentos, parece que suas experiências se manifestam é no dorso do seu colo, e quase sempre, de vez em quando, tudo isso pesa. Mas não tem modo, não existe maneira que a faça ser diferente. E ainda, graças a Deus, ela é diferente. Algo que pesa e que tem o dom da leveza, algo que chora e que se manifesta em sorrisos, algo de forte, mas que se desmancha quando encontra a água.

Ela transmuta a cada segundo. E quando parece que não tem mais jeito de ser, ela arruma um modo de ser algo novo, desconhecido até pra ela mesma. Ela é aquilo que podemos chamar de transmutação constante indefinível.

Um ser elemental, que de tão simples e essencial acaba se tornando complexo demais, porque sempre vai existir alguém pra achar que as coisas vão além do que realmente parecem ser. Mas será que não vão mesmo?! Será que tudo o que a gente entende por 'visão de mundo' não são apenas as coisas às quais nós nos agarramos para criar uma zona de conforto e ter pé pra seguir adiante?

O princípio da arte de existir consiste em não ser absolutamente nada. Ou até ser algo muito intenso, mas por pouco tempo. A graça dela está em entrar no casulo e sair de lá diferentemente e sempre borboleta. Pelo caminho as coisas vão se encaixando, a gente vai aprendendo a alçar voos extasiantes. Nunca esquecendo de que, raramente, quase sempre, vai doer um pouquinho. Mas um pouquinho quanto?!


"Mas ela
caminhava para frente,
sempre para frente,
como se anda na praia.
O vento alisando o rosto,
levando para trás os cabelos..."
(Clarice Lispector)





2 comentários:

Sophi para os íntimos disse...

Para mim será uma honra...estaremos juntas!Adorei o teu tbm,quanta sensibilidade em transmitir...
Beijo enorme Sawae!

ErikaH Azzevedo disse...

“O que sou toda a gente é capaz de ver... Mas o que ninguém é capaz de imaginar é até onde sou e como.”

(Miguel Torga)


Ela era um pouco eu...rs


Nessa sensação de borboleta:largata:borboleta.

E são tantas as metamorfoses em nós que nada nos permanece mesmo imutável por muito tempo.

Obrigada por me seguir, gostei tb desse teu catinho aqui. Sinta sempre bem vinda Sawae

bjinhos

ERikah