sábado, 31 de dezembro de 2011

Magia em 2012

Seremos capazes de reiniciar nossas vidas, começando tudo do zero, em 2012?! Como se fossemos feitos de alguma outra matéria de que não existisse carne, sangue, espírito e mortalidade?! Somos seres mágicos ou tudo isso é parte integrante da imensa expectativa que sempre nos enredamos, na qual nos frustraremos nos primeiros dias, quiçá meses, do Novo Ano?!

Bem lá no fundo tenho esperança de que alguns de nós não levem tão a sério essa 'energia de simpatia' que permeia os últimos dias e horas de 2011. Já perdi em conta o número de pessoas que me desejou um "Feliz Ano Novo", assim como não conseguiria lembrar para escrever aqui os desejos de saúde, paz, amor, fé etc e tal. Fico achando mesmo que 2012 já vai chegar assustadíssimo e preocupado com tanta expectativa a se cumprir, coitado. Uma das pessoas que eu mal falei em 2011 e veio me cumprimentar, foi minha vizinha do 8º andar. Se eu ainda não resguardasse um pouco de educação, teria respondido a ela após as felicitações: "Como é que meu ano poderá ser tão bom se a senhora vai continuar correndo para fechar a porta do elevador, não tendo trabalho de gentileza em esperar minha corrida apressada em direção ao mesmo?". Do que adianta a tentativa vazia de ser politicamente correto hoje, se no próximo ano (a partir de amanhã), tudo continuará igual? Possivelmente incubados em nosso egoísmo de cada dia, nos fartando dele em todas as nossas refeições.

Não vou desejar feliz nada novo. A ninguém.

Tudo o que existe não é novo. O próximo ano será inédito apenas no numeral, mas iniciará seus trabalhos carregando em si tudo o que já somos e fazemos. A semeadura aconteceu em algum momento que passou. No máximo e com grande esforço (não vou mentir), o novo ano será apenas uma colheita. Não somos seres mágicos, não poderemos nos transformar em fadas da bondade e do sucesso a partir da meia noite de hoje. O que podemos conseguir em 2012 (e para isso sim eu lhe desejo força), é que nos dediquemos a ser o resultado daquilo que já se iniciou em nós. Resultado da evolução sem imposições esdrúxulas; de uma evolução voluntária ou necessária, que já se iniciou em algum momento de 2011 (ou antes!). Evoluir é daquelas ações pouco espalhafatosas e muito trabalhosas, daquilo que só os íntimos veem acontecer.

Desejo que não haja espera em 2012, quase toda espera é vazia, não criemos mais vazios. Sejamos o 2012 que começou antes, gestacionado por nós mesmos, mulheres e homens. Desejo ainda que não nos fiemos nos 'impossíveis', que eles não sejam motivo de frustração. E se algum 'impossível' vier acontecer, que o Acaso, o Universo e Deus carregue o peso deste mérito. A nós, mortais de vida dura, que nos sobre a gloriosa tarefa de colher o que foi regado por nosso suor. E que as lágrimas que verteram de nossas almas, escorram por nossa pele, transpassem o contorno das rochas sob os nossos pés, encontrando assim um solo e ali se refastelem. Que as lágrimas que de nós saíram, concebam que não pertencem mais a nós, seguindo assim o seu curso nesta terra, e que refresquem alguém que se encontre em outra parte do trajeto, que se unam ao elixir de outro ser humano e que encontrem o rio que dá a saciar a tantos e todos quanto. Porque a vida não é seccionada, ela é a parte única que se inicia no nascimento e estende-se além da morte.

Na água fomos gerados e contidos, nela batizados.
Retornaremos, em um curso natural, à corrente das águas vindouras.


Que os que acharam que fui pessimista em minha escrita, levem em consideração que a pessoa que dá vida a estas linhas sofre de uma coisa chamada realidade, e que acredita que o contrário dela nem sempre é o melhor subterfúgio para se viver. Os que discordam de mim também são contribuintes da minha matéria 'vida'.

Um comentário:

NathMel disse...

Intensa como sempre!!!