terça-feira, 23 de março de 2010

Previsível Saudade.


Procurando outras 'opinões' sobre a saudade que sinto, percebi uma coisa que me espantou por alguns poucos momentos: discordo sobre o significado da palavra SAUDADE. E discordo bem, viu?!

Não sinto a dor que pinga sangue de alguns poetas, não sinto a saudade como se me dilacerasse a alma, como essa mesma saudade parecia dilacerar a alma dos meus queridos poetas apaixonados. Talvez seja porque hoje tenho a plena certeza de que ele foi pra mim tudo o que ele podia ser.

Eu vi a existência dele de todas as formas, da mais tenaz existência na minha recordação de infância quando eu ouvia (e ele vinha) bem ao longe na minha rua, buzinando seu carro barulhento e eu corria pra janela daquele apartamento só pra acenar aquele efusivo tchau de criança. Não sentia a mínima vergonha daquele gesto, eu sentia orgulho do meu avô que, sempre que saía de casa, passava pela rua da minha casa. Era a maneira dele dizer que estava presente. Lembro das figuras musicais que ele fazia com aquela buzina meio rouca. Lembro até das vezes em que, na minha infância, ele me dizia pra agradecer à secretária eletrônica que me atendia dizendo a hora certa. Claro que depois de um tempo eu percebia claramente que não tinha ninguém ali falando comigo, mas fazia como ele mandava, só pra ter o prazer de agradá-lo. Tinha até gente que dizia: "você sabe que é uma gravação, não sabe?" - e eu respondia sussurrando: "claro que sei".

Convivi até com a sua mais subjulgada e dependente situação, e, mesmo sem entender direito, eu sentia orgulho de tê-lo como meu. E talvez seja essa a minha concepção de saudade: é sentir a presença dele, na lembrança ou nos gestos que ninguém mais terá para comigo. A lágrima de saudade dele vai lavando a minha alma, curando a sua ausência e adubando a presença que nada pode arrancar. Ele está presente na minha alma assim como no sentido da frase do Vinícius: "Saudade é ser, depois de ter"

Está aí, hoje eu compactuo com a arte do meu Vinícius e com a letra forte do Mário Quintana:

"É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te."

5 comentários:

meus instantes e momentos disse...

gostei daqui...
Maurizio

ErikaH Azzevedo disse...

Saudade so não amarga qdo o lembrar é doce, pq lembrar nos faz viver de novo e viver como se fosse a primeira vez pq o olhar em que se vive é novo...se antes vivia teu avÕ com olhares de menina,hj vives ele com olhares de mulher que não deixou de ser menina. Uma saudade assim faz da ausencia uma presença constante em nós...e é gostosa sim de sentir.

Pq como já dizia uma outra frase tb do Quintana, " o tempo nãopára, só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo" E como diz a Clarice, a nossa menina Lis..." saudades e um dos sentimentos mais urgentes existem na vida"

Que essa saudade te seja sempre assim, doce, suave , alento de paz....

Um beijinho a ti Sawae querida,

Erikah

ErikaH Azzevedo disse...

Amiga querida,

Só uma pequena observação..essa frase do Vinicios que dizes aqui...! saudades é ser, depois de ter eu acho que é do Guimarães Rosa do livro Grande sertão Veredas, se não me engano...tb nao sei, posso estar enganada né.

bjooooooooooooooo queridissima(adorei me chamares assim..hehehe)

Adoro-te flor!

Erikah

Sawae disse...

Olha, queridíssima! (rs..)

Eu não duvido de nada, viu?! Minha paixão por Vinícius é tão latente que até pode ser uma atitude viciada minha! rs..

Beijíssimo!

Sophi para os íntimos disse...

Você é linda,demonstra nos traços que a maior verdade e não precisa ser dita mentindo é éssa: a alegria e autencidade de ser mulher,que sente,que pulsa,que sangra e que ama incondicionalmente...
Grande beijo Sawae,te seguindo orgulhosamente!